segunda-feira, 31 de maio de 2010

A Missão de Sabriel, Garth Nix



"Esta obra convida-nos a entrar num mundo mágico, não muito alheado do real, mas onde o espaço e o tempo acabam por revelar ligeiras diferenças, ligeiras flutuações nos seus ritmos, fendas misteriosas por onde se insinuam espíritos maléficos, seres enigmáticos, encantamentos secretos. A própria fronteira entre a vida e a morte atenua-se, do outro lado da Muralha, onde se estende o Reino Antigo. Quando um mensageiro lhe entrega a espada de Abhorsen, o Necromante, e os sete sinos de prata capazes de dominar os vivos e os mortos, Sabriel sabe que o pai e o Reino Antigo correm perigo. Determinada a encontrar o pai e a lutar contra uma ameaça inominável, a jovem parte rumo às profundezas do desconhecido numa jangada heróica, apoiada somente pela petulante criatura que usa a forma de um gato branco, Mogget, e por Touchstone, um jovem soldado cujo passado esconde um terrível mistério. Que forças irão os três defrontar? E que destino estará reservado a Sabriel? Uma história absorvente, destinada a tornar-se um clássico.

A Missão de Sabriel inaugura uma das mais fascinantes trilogias do género fantástico, tendo conquistando, de imediato, as melhores críticas e os aplausos do público em todos os países onde já foi publicada. Philip Pullman teceu-lhe grandes elogios, definindo-a como uma criação cheia de «invenção, brilho e inteligência». "



Não posso dizer que tenha sido um livro que tenha lido com altas expectativas; já o tenho na estante há anos, e já tinha iniciado a sua leitura, embora tenha desistido. Daí não me ter desiludido por aí além. 
Tem uma história envolvente, mas que poderia ter sido mais explorada
Embora tenha lido várias criticas positivas quanto à linguagem acessível e simples, tenho de discordar totalmente. Não sei se será mesmo o estilo de escrita do autor, ou se foi problemas de tradução, mas a verdade é que achei que as frases eram mal construídas, destituídas de qualquer lógicas muitas das vezes.
De qualquer forma fiquei com curiosidade relativamente à continuação da saga.