quarta-feira, 28 de abril de 2010

Vai Aonde Te Leva o Coração, Susanna Tamaro



"Livro sensação, livro de descoberta ou de redescoberta e por isso mesmo não alheio à diversidade de reacções. Através de um registo em que três gerações de mulheres dialogam, numa voz que reconta as suas vidas, Susanna Tamaro serve-se dessa estrutura narrativa para confrontar os diferentes tempos vividos e reavaliar este ciclo geracional. A leitura deste livro é enleante, quase hipnótica, comovente, o que justifica talvez o seu imenso sucesso internacional. De resto, a circulação do livro a esta escala surpreendente deve-se a um fenómeno de passagem de testemunho de leitor para leitor traduzido numa verdadeira consagração deste romance, que o tem mantido ininterruptamente no topo das preferências.

«Mais do que viver em paz, é essencial enfrentarmos a nossa vida com honestidade e clareza.»
Susanna Tamaro, em entrevista à Lux Woman

«Duma maneira ou de outra, todos os meus livros falam da família e das relações familiares, porque nós somos – como indivíduos – o resultado dos nossos pais, dos nossos avós e dos nossos bisavós e, portanto, se quisermos saber quem somos, antes de tudo, devemos procurar compreender de onde vimos. E, depois, os nossos pais, pela positiva ou pela negativa, formam-nos, e, por isso, crescer significa também saber distinguir e separar aquilo que provém deles daquilo que nós queremos.»
Susanna Tamaro, em entrevista à Lux Woman

«Uma versão italiana de “Pontes sobre Madison County” em que uma velha senhora de Trieste envia, à sua neta na América, uma série de cartas em que a encoraja a “seguir o seu coração”.»
Library Journal"
Susanna Tamaro (1957) Trieste, Itália. Autora de bestsellers, como Vai Aonde Te Leva o Coração e Querida Mathilda, iniciou-se no panorama literário em 1989 com a obra Com a Cabeça nas Nuvens. Hoje, o seu nome é um dos mais sonantes da literatura italiana, tendo conquistado milhares de leitores em vários cantos do mundo. 


Edição/reimpressão: 2000
Páginas: 120
Editor: Editorial Presença
Colecção: Grandes Narrativas
P.V.P.: € 11,00 

Tive este livro em minha posse durante bastante tempo, até ganhar coragem para lhe pegar. As criticas que tinha ouvido não tinham sido as melhores, o que tinha influenciado o facto de ter adiado a sua leitura durante tanto tempo.
No entanto, apesar das expectativas, não desgostei. É bastante triste; uma mulher, sozinha na idade e na doença, longe da sua única família, a neta, com a qual a relação não é das melhores, relata as histórias de três gerações diferentes, em forma de cartas que a avó escreve à neta, embora não as envie.

Ela descreve, com uma simplicidade todas as teias que se enredaram e que levaram aos acontecimentos presentes, não pretendendo expiar as suas culpas, apontando o dedo seja a quem for, mas sim descrever uma vida que fora difícil desde a mais tenra idade, e onde somos confrontados com o facto de que por vezes as circunstâncias que levam a determinadas situações são mais complexas do que nos propomos a pensar, e onde a culpa pode ser muito subjectiva.
Existe um segundo volume, denominado "Escuta a minha Voz", mas ainda não tive a oportunidade de o ler, embora as criticas que tenho ouvido não sejam as melhores. Contudo, há que dar sempre o benefício da dúvida, pois por vezes, podemos surpreender-nos.