segunda-feira, 22 de março de 2010

Uma Aventura no Ribatejo



Um grande olá a todos os seguidores do Livreo, que ainda por aqui passam, mesmo após a minha longa ausência desta esfera bloguista. 

Infelizmente tenho estado sem tempo, e embora o blogue tenha estado um pouco abandonado, tento sempre passar por aqui para ler os comentários, assim como para dar uma olhada aos blogues amigos. 
No entanto, arranjo sempre um tempinho para ler, nem que seja apenas uma escassa hora.

Hoje, regresso com a Brincadeira Literária da Náh, do blog Ler, Dormir, Comer..., que consiste em descrever o primeiro livro que leu. 

Aqui fica: 

Uma Aventura no Ribatejo, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada



 "Ainda haverá cavalos selvagens em Portugal? E touros bravos?
As gémeas, o Pedro, o Chico e o João, no caminho para umas curtas férias de Inverno no Ribatejo, não falaram de outra coisa!
— Esta planície calha mesmo bem para uma boa cavalgada!
— E a galope desenfreado...
Os primeiros cavalos que avistaram corriam entre a margem e uma ilhota do rio Tejo, espalhando em redor nuvens de água luminosas. Aproximaram-se tão entusiasmados que o
Faial nem ladrou! Mas o que descobriram deixou-os assombrados...Estariam a ver bem?"


Edição/reimpressão: 1998
Páginas: 172
Editor: Editorial Caminho
Colecção: Uma Aventura
P.V.P.: € 5,50 


Desde pequena que gosto de livros. Enquanto não sabia ler, tinha quem me lesse aqueles livros típicos da infância - contos de fadas, princesas adormecidas, e príncipes heróicos -, e quando aprendi a ler, os livros infantis acompanharam o meu percurso durante bastante tempo. 

Aos 10 anos tive o meu primeiro livro infantil-juvenil. Já não eram as típicas histórias de princesas, mas sim de aventuras. Este acontecimento marcou profundamente a minha paixão pelos livros, mas constituiu o impulsionador para o gosto pela escrita.
Já não me recordo bem da história, e apesar de ter relido este livro muitas vezes, já se passaram vários anos. Recordo-me que a acção se prende essencialmente com o facto de ter sido avistado OVNI's na região do Ribatejo, e que as cinco personagens - as gémeas Teresa e Luísa, o Pedro, o João e o Chico -, mais os seus cães - o Caracol e o Faial-, decidem investigar a causa destes fenómenos.

Esta foi uma altura muito importante para mim relativamente à escrita. Foi sensivelmente nesta altura, aos dez anos, que comecei a escrever histórias de aventuras, com uma grande influência dos livros da colecção Uma Aventura. O que começou por ser então simples curiosidade, acabou por se revelar algo profundo e vital para o meu crescimento. Passou a ser parte de mim, daquilo que me define hoje como pessoa. 


Por tudo isso, este foi o livro que mais me marcou, não só por ser o primeiro num género infantil-juvenil mas também pelo facto de me ter aberto as portas para o mundo da leitura e da escrita que tão importante tem sido para mim, nos bons momentos, mas principalmente, nos maus.