segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O Herdeiro de Sevenwaters, Juliet Marillier



"Os chefes de clã de Sevenwaters são há muito guardiões de uma vasta e misteriosa floresta, um dos últimos refúgios dos Tuatha De Danann, as Criaturas Encantadas que povoam as velhas lendas. Aí, homens e habitantes do Outro Mundo coabitam lado a lado, separados pelo finíssimo véu que divide os dois reinos e unidos por uma cautelosa confiança mútua. Até à Primavera em Lady Aisling de Sevenwaters descobre que está grávida e tudo se transforma. Clodagh teme o pior, uma vez que Aisling já passou há muito tempo a idade segura para conceber uma criança. O pai de Clodagh, Lorde Sean de Sevenwaters, depara-se com as suas próprias dificuldades, vendo a rivalidade entre clãs vizinhos ameaçar fronteiras do seu território. Quando Aisling dá à luz um filho varão - o novo herdeiro de Sevenwaters - Clodagh é incumbida de cuidar da criança duarnte a convalescença da mãe. A felicidade da família cedo se converte em pesadelo quando o bebé desaparece do quarto e uma coisa não natural é deixada no seu lugar. Para reclamar o irmão de volta, Clodagh terá de entrar nesse reino de sombras que é o Outro Mundo e confrontar o poderoso princípe que o rege. Acompanhada nesta missão por um guerreiro que não é exactamente o que parece, Clodagh verá a sua coragem posta à prova até ao limite da resistência. A recompensa, porém, talvez supere os seus sonhos mais audazes..."

Após 8 anos da publicação da Filha da Profecia, Juliet Marillier regressa à Trilogia de Sevenwaters, a qual tenho de admitir, tem um gosto muito especial para mim, pois foi com esta trilogia que me iniciei na literatura adulta. Adorei todos os três livros anteriores a este, com mais enfoque, claro está, no segundo volume, O Filho das Sombras.
Adorei regressar a Sevenwaters, às suas florestas coabitadas por seres mágicos, às festas onde as histórias eram partilhadas à lareira; e as descrições de Marillier são tão pomernorizadas que nos transportam para aquele tempo e vemos tudo com uma clareza impressionante. Apesar de Juliet ocupar o lugar mais alto nas minhas preferências literárias, sinto que este não alcançou o mesmo patamar que os anteriores, talvez por o estilo de escrita estar dirigido a um público mais jovem, algo que não aconteceu nos restantes da trilogia; no entanto não deixa de ser um livro excepcional, ou não se tratasse de Juliet Marillier.
Fica agora a expectativa para ler a continuação.

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 480
Editor: Bertrand Editora
P.V.P. € 18,53