quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Belladonna, Anne Bishop

"Bem-vindos a Efémera, onde a terra se altera em resposta aos mais profundos desejos e medos dos seus habitantes.


Há muito tempo, Efémera foi dividida em inúmeras paisagens mágicas ligadas somente por pontes. Pontes que podem levar quem as atravessa para onde realmente pertence e não ao local onde pretende chegar. Uma a uma, as paisagens de Efémera estão a cair na sombra. O Devorador do Mundo está a espalhar a sua influência, manchando as almas das pessoas com dúvida e medo, alimentando-se das suas emoções mais negras. A cada vitória o Devorador aproxima-se da conquista final. Apenas Glorianna Belladonna possui a habilidade de frustrar os planos do Devorador. Mas os seus poderes foram mal interpretados e incompreendidos. Determinada a proteger as terras sob o seu domínio, Glorianna defrontará o Devorador sozinha se assim estiver no seu destino."


Já há algum tempo tinha escrito um post sobre este livro e foi preciso muita paciência até ter o ter em mãos. Mas a paciência foi recompensada pois Belladonna assume-se como uma das histórias que mais me marcou de sempre. Se com Sebastian, Anne Bishop tornou-se numa das minhas escritoras predilectas, com Belladonna elava-a a um patamar muito superior - simplesmente sublime.
Além de ser uma história com contornos muito originais, em que as Paisagistas assumem um papel relevante como vigilantes das paisagens de Efémera, lutando para que esta não seja absorvida pela Escuridão, Bishop tem uma habilidade surpreendente de nos fazer "entrar" na história, absorvendo todos os pormenores com uma exactidão avassaladora. Á semelhança do primeiro livro, Sebastian, este apresenta-se deveras complexo, exigindo de nós toda a atenção para que nada nos escape, com descrições complexas e momentos de relativo humor, e onde os caminhos se cruzam e nada é deixado ao acaso.
Desde o primeiro volume que considero Belladonna a personagem mais marcante, e foi com um grande entusiasmo que esperei pela sequela, onde seria abordada com mais pormenor a vida desta personagem. Não me desiludi. Houve momentos onde o amor era por demais visível; momentos dilacerantes onde a mágoa e a dor imperava; momentos de humor e companheirismo. O romance, embora não seja constantemente descrito, está sempre presente, seja nas palavras, seja nas acções. O culminar da história foi empolgante e foi com bastante força de vontade que resisti em espreitar as últimas páginas, para saber como terminaria.
Aconselho este livro a todos os leitores que gostam do género fantástico, com a certeza de que não se desiludirão.


E aqui fica uma frase que me marcou profundamente:

"A escuridão dela é o meu destino. O coração dela é o meu mundo. Nada mais existe, nada mais, nada. E quando ocupar o seu coração, juntos iremos destruir-te."

Boas leituras!


(P.S. A primeira imagem corresponde à capa da edição portuguesa ao passo que a segunda imagem corresponde à capa da edição americana.)

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 384
Editor: Saída de Emergência
P.V.P. 17.49€