sábado, 18 de dezembro de 2010

O Monte dos Vendavais, Emily Brontë



"O Monte dos Vendavais é uma das grandes obras-primas da literatura inglesa. Único romance escrito por Emily Brontë, é a narrativa poderosa e tragicamente bela da paixão de Heathcliff e Catherine Earnshaw, de um amor tempestuoso e quase demoníaco que acabará por afectar as vidas de todos aqueles que os rodeiam como uma maldição. Adoptado em criança pelo patriarca da família Earnshaw, o senhor do Monte dos Vendavais, Heathcliff é ostracizado por Hindley, o filho legítimo, e levado a acreditar que Catherine, a irmã dele, não corresponde à intensidade dos seus sentimentos. Abandona assim o Monte dos Vendavais para regressar anos mais tarde disposto a levar a cabo a mais tenebrosa vingança. Magistral na construção da trama narrativa, na singularidade e força das personagens, na grandeza poética da sua visão, nodoso e agreste como a raiz da urze que cobre as charnecas de Yorkshire, O Monte dos Vendavais reveste-se da intemporalidade inerente à grande literatura."



Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 320
Editor: Editorial Presença
Colecção: Obras Literárias Escolhidas
P.V.P.: €16,15



Esta é daquelas obras das quais é sempre uma grande responsabilidade tecer criticas sobre elas; não só pelas susceptibilidades que pode ferir, como também pela sua dimensão no mundo da escrita. Já li todo o género de opiniões, até mesmo o estudo da obra segunda uma perspectiva psicológica. Mas claro, nada como lermos por nós próprios para tirarmos as nossas conclusões.

Confesso que, devido às expectativas que criei, de inicio quando me apercebi da forma como a história era narrada, que me senti de alguma forma desiludida. Esperava uma grande história de amor, em que os sentimentos das personagens seriam expostos de uma forma bastante descritiva, quando para meu espanto me apercebo que toda a acção é narrada por Ellen Dean, a empregada. Pensei para mim, como é que a história teria a profundidade por tantos descrita? No entanto, essa dúvida durou apenas um instante. A forma como Nelly expunha tudo quanto observava remete-nos para um papel de expectador privilegiado. E para além disso, esta história é o relato de duas gerações - mãe e filha - sob o olhar atento da doce Nelly.

Odiei e adorei nas mesmas proporções as personagens Heathcliff e Catherine, e chorei pela sua relação tempestuosa. E mais não posso dizer ou estarei a revelar pontos importantes a quem ainda não teve oportunidade de ler esta obra.

Este foi daqueles livros que mesmo após finda a sua leitura, durante vários dias as personagens e todo o enredo não me sairam da cabeça. Posso considerar como um dos melhores que li até hoje, e aconselho a todos. Seguramente, será um livro que irei reler mais tarde.