domingo, 4 de janeiro de 2009

SCRIPTUM - O Manuscrito Secreto, de Raymond Khoury

"A Terra Santa está perdida.
Aquele único pensamento invadia constantemente Martin de Carmaux, a sua brutal incontornabilidade mais aterradora do que as hordas de combatentes que entravam em massa pela brecha na muralha.
Fez um esforço para bloquear o pensamento, repeli-lo.
A hora não era de lamentar. Tinha uma tarefa.
Homens a matar."









“Deixando Acre para trás, envolta no clamor da batalha, os Cavaleiros do Templo partem a bordo do navio, transportando com eles o cofre misterioso que lhes foi entregue pelo Grande Mestre da Ordem, às portas da morte. Era o ano da graça de 1291, e o Ocidente perdia o Reino de Jerusalém para o domínio muçulmano... Mas algo de incomensuravelmente importante tinha de ser preservado, algo que revelaria a toda a civilização ocidental que havia erigido a sua fé sobre as areias movediças do logro...
Estava tudo a postos para uma memorável noite de gala – o Museu Metropolitano de Arte de Nova Iorque ia inaugurar a Exposição dos Tesouros do Vaticano. Inesperadamente, quatro cavaleiros exibindo as insígnias da Ordem dos Templários invadem violentamente o interior do museu, semeando o pânico e a destruição. A sua investida tivera um único objectivo – roubar um codificador medieval. Mas, se alguém precisava tanto daquele dispositivo, era porque algures se encontrava um documento escrito em código, e de uma importância tal que parecia justificar a morte de inocentes... Chegados a esta conclusão, Sean Reilly, um agente do FBI, e Tess Chaykin, uma arqueóloga que assistiu ai assalto no Met, embrenham-se numa demanda de proporções homéricas que os faz mergulhar na história secreta dos cruzados e recuperar o último segredo dos Templários, a descoberta que poderá vir a alterar irreversivelmente o cenário religioso de todo o mundo cristão...
Scriptum – O Manuscrito Secreto é um thriller histórico e religioso empolgante, que entretece com magistralidade as lendas do universo dos Templários; o suspense quase insustentável do policial; reflexões de cariz religioso e espiritual sobre a Igreja, os evangelhos, a alquimia e as seitas heréticas; e uma criatividade literária invulgar. Um romance de estreia e inovador.”



A história tem inicio em Jerusalém, em 1291, com a fuga dos Cavaleiros do Templo da Terra Santa, invadida e pilhada pelos muçulmanos. Martin Carmaux e Aimard de Villiers, dois dos Cavaleiros são incumbidos de uma missão de extrema importância para a sobrevivência da Ordem.
Em Nova Iorque, no pós 11 de Setembro, o Museu Metropolitano de Arte é assaltado de forma invulgar, em plena inauguração da exposição de tesouros do Vaticano, por cavaleiros ostentando os trajes da Ordem dos Templários.
E dois acontecimentos, separados no tempo, que aparentemente em nada estão ligados, possuem algo em comum.
Ao estilo de Dan Brown, Raimond Khoury apresenta-nos este thriller, onde os acontecimentos vão-se sucedendo a uma velocidade estonteante, mas onde as personagens não são descuradas e são exploradas ao fundo. De fácil leitura, e sem se perder em pormenores técnicos, por vezes incompreensíveis e maçadores, como infelizmente acontece em vários romances deste género, este é um romance que aconselho vivamente.


Edição/reimpressão: 2006
Páginas: 396
Editor: Editorial Presença
P.V.P. € 20,00